Edina Batista, da Federação Paulista de Futebol, será a segunda mulher na história do futebol brasileiro a apitar como árbitro central um jogo da Série A – CSA x Goiás, pela sexta rodada. Edina também será a representante da arbitragem brasileira na Copa do Mundo Feminina de futebol.

No último fim de semana, Edina Alves Batista apitou o jogo entre América-MG e Sport. A partida vencida pelos pernambucanos fora de casa por 2 a 1 não teve grandes interferências da juíza.

A primeira mulher a apitar uma partida da série A foi Silvia Regina em 2003, no jogo Guarani x São Paulo. A própria Silvia Regina, hoje em dia ex-árbitra, estará presente como supervisora do VAR. O anúncio foi feito, agora há pouco, em audiência pública na sede da CBF, pela a Comissão de Arbitragem da CBF dirigida por Leonardo Gaciba. Segundo o presidente da comissão, Edina serve de exemplo para outras árbitras.

– Eu só consigo ver meus árbitros como pessoas iguais. Acho que ela serve como exemplo não só para mulheres, mas para todos. A Edina era bandeira, abriu mão do escudo da FIFA, de árbitra internacional, porque tinha o sonho de ser árbitra central. Então, ela voltou às categorias de base, começou a apitar na base, largando o escudo internacional de auxiliar. Ela já conseguiu alcançar o quadro internacional como árbitra central e, hoje, está chegando na Série A. Para mim, ela é um exemplo para todo mundo.

Com Globoesporte.com