O ABC apresentou no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) uma notícia de infração contra o Treze por uma suposta irregularidade do técnico Celso Teixeira. Segundo a denúncia do clube potiguar, o treinador estaria suspenso por três partidas e não poderia ter comandado a equipe paraibana no duelo contra o Confiança, pela 17ª rodada da Série C. A Procuradoria do STJD deve receber a notificação nesta segunda-feira e o procurador tem até 48 horas para acatar o recurso e apreciar o caso ou arquivá-lo. O Alvinegro de Natal foi rebaixado na Série C do Campeonato Brasileiro e uma punição ao Treze pode fazer a equipe permanecer na terceira divisão.

O ABC se baseia no Regulamento Geral das Competições 2019, pede um tratamento igual entre técnicos de futebol e jogadores, e argumenta que o Treze infringiu o artigo 214 do Código Brasileiro da Justiça Desportiva, que tem como possível pena a perda de seis pontos. No último sábado, Celso Teixeira não esteve à beira do gramado no comando do Treze na partida contra o Botafogo-PB. O Treze teria sido notificado pelo STJD quanto a este recurso do ABC.

Nesta segunda-feira, o vice-presidente jurídico do ABC, José Wilson Gomes, falou ao GloboEsporte.com que aguarda o posicionamento da Procuradoria do STJD, mas está otimista quanto a uma punição ao Treze, o que pode significar a permanência do clube de Natal na Série C.

PARA ENTENDER O CASO

Em documento enviado ao STJD, o ABC lembra que Celso Teixeira era técnico do Central e foi expulso na partida contra o Atlético-CE, no dia 9 de junho, e cumpriu suspensão automática no duelo contra o Jacuipense, no dia 15 de junho. O Central seria eliminado pelo clube baiano do dia 20 de junho. No dia 8 de julho, Celso Teixeira foi julgado pela expulsão do dia 9 e foi punido pelo STJD com a suspensão por três jogos, além de multa de R$ 5 mil, e suspensão por 30 dias.

Celso Teixeira acabou contratado pelo Treze no dia 8 de agosto, mas não participou do confronto contra o Ferroviário, no dia 11, pois não estava regularizado. A publicação no BID da CBF aconteceu no dia 14. A estreia do treinador aconteceu no jogo contra o Confiança, no dia 18, assinando a súmula da partida. No caso, ele teria que cumprir mais dois jogos de suspensão e não poderia ter trabalhado à beira do campo contra o Confiança.

Na denúncia, o ABC lembra que, a partir desta edição 2019 do Campeonato Brasileiro, o técnico de futebol passou a ter o mesmo tratamento que é dado aos atletas, passando a ser advertido com a aplicação de cartões e suspensões automáticas. “Nesse sentido, analisando o Regulamento Geral de Competições 2019, observamos claramente que agora o tratamento dado aos treinadores profissionais deve ser o mesmo que vem sendo aplicado aos atletas. Por exemplo, é o que se extrai do art. 33, o qual dispõe sobre os requisitos necessários para o atleta ter condições de jogo e, embora não traga a expressão técnico de futebol, tais exigências também são agora também aplicadas aos mesmos”, diz o ABC na notícia de infração.

COMO FICARIA?

No caso de uma possível punição com a perda de seis pontos ao Treze, o clube paraibano seria rebaixado para a Série D do Campeonato Brasileiro – em campo, somou 19 pontos, mas ficaria com 13. O ABC, que terminou a competição com 18 pontos, na nona posição, seria salvo da degola.

Com Globoesporte.com