Paraibanos brilham na final do futebol de cinco, vencem Argentina e ajudam Brasil a conquistar o 5º ouro em paralimpíadas

Pela quinta vez em cinco edições da modalidade nas Paralimpíadas o Brasil conquistou a medalha de ouro no futebol de cinco (para atletas cegos). E justamente sobre o maior rival, a Argentina. Com um golaço de Nonato no segundo tempo, a seleção levou o título na arena Aomi, em Tóquio, sem ser vazada e se manteve intocável no megaevento.

O paraibano Luan Lacerda, goleiro da seleção, salvou o Brasil duas vezes nas primeiras chegadas da Argentina. O Brasil respondeu com Paraná, que fez grande jogada individual e acertou a trave. Pouco depois, Ricardinho chutou na rede pelo lado de fora. Nos segundos finais, Ricardinho e Jefinho ainda deram mais dois chutes, mas nada de gols.

O início do segundo tempo teve poucas chegadas com perigo ao ataque e marcação forte. A melhor oportunidade até então foi com Nonato, em chute cruzado desviado pelo goleiro Lencina.

Pouco depois, o mesmo Nonato fez fila, passando por dois marcadores, e bateu de esquerda no ângulo direito do goleiro argentino para abrir o placar para o Brasil. Com menos de 5 minutos para o fim do jogo, Luan ainda salvou o time brasileiro com bela defesa. Foi só. Vitória e festa brasileira.

Além de Luan, a equipe brasileira pentacampeã contou com grande representação paraibana: o treinador Fábio Luiz, o assistente Josinaldo Costa, o analista técnico Alexandre Sérgio, o preparador físico Edson Gomes, o fisioterapeuta Harekson Barbosa e os jogadores Damião Robson, Matheus Costa, e Jardiel Vieira.

OURO PARA BOA VISTA E CABACEIRAS!

Dois paraibanos citados acima, está o preparador físico e chamador Edson Gomes que é da cidade de de Boa Vista e o atleta Damião Robson que é da cidade de Cabaceiras, ambas na região do Cariri.

Edson Gomes é o preparador físico da Seleção Brasileira e durante as partidas atuou na função de chamador da equipe, na qual tem o objetivo de dá dicas importantes sobre o posicionamento dos rivais para que os brasileiros tenham mais informações para formularem uma jogada.

O caririzeiro Edson Gomes foi fundamental para a conquista do ouro da Seleção Brasileira e foi responsável pelas orientações nas jogadas que saíram os gols da Seleção durante as Paralimpíadas.

Além de Edson Gomes, outro caririzeiro que esteve disputando as Paralimpíadas foi o atleta Damião Robson, que é da cidade de Cabaceiras e também deu sua contribuição entrando em algumas partidas e ajudando a equipe durante a competição em Tóquio.

O Brasil jamais perdeu uma partida em cinco campanhas paralímpicas que lhe renderam cinco medalhas de ouro.

O futebol de cinco estreou nas Paralimpíadas em Atenas 2004 e sempre viu o Brasil no topo do pódio. Na Grécia, a vitória foi sobre a Argentina nos pênaltis. Em Pequim 2008, o título veio sobre a China, por 2 a 1. O tri foi garantido em Londres 2012 com um triunfo sobre a França por 2 a 0. Na Rio 2016, o oponente da decisão foi o Irã, devidamente batido na final por 1 a 0.

Na disputa da medalha de bronze em Tóquio, o Marrocos – que havia caído diante do Brasil na semifinal – ganhou a China por 4 a 0 e assegurou lugar no pódio na capital japonesa.

Cariri Esporte

/ Foto: OIS/Joel Marklund