No clássico dos Maiorais, Campinense derrota o Treze e aprofunda crise no rival

O Campinense levou a melhor sobre o rival Treze, no Clássico dos Maiorais de número 413, realizado neste domingo, no Estádio Amigão, em Campina Grande.

Com um gol de Cleiton no primeiro tempo, a Raposa venceu o Galo por 1 a 0 e encerrou sua participação na terceira posição, com 12 pontos, podendo ter vantagem de jogar em casa no mata-mata das quartas de final do Paraibano.

Já o Treze, por enquanto, permanece na quarta colocação com apenas oito pontos, pois pode ser ultrapassado por Atlético de Cajazeiras ou São Paulo Crystal, que jogam ainda esta noite, contra, respectivamente Botafogo-PB e Perilima.

O JOGO
Com dificuldade dos dois times criarem, a primeira movimentação do jogo foi em um lance polêmico. Marcos Nunes foi claramente derrubado dentro da área por Rômulo, que deu uma rasteira no atacante do Campinense, mas o árbitro Tiago Ramos não achou que houve penalidade.

A primeira oportunidade de gol veio aos 18 minutos, quando Marcos Nunes avançou em velocidade desde a intermediária só com Jeferson pela frente. O goleiro não saiu, o atacante entrou na área e bateu cruzado, mas o camisa 1 fez ótima defesa e, no rebote, Marcos Nunes tentou de novo, só que a defesa acabou afastando o perigo.

Aos 27, nova chance da Raposa. Após cobrança de escanteio da direita, o zagueiro Cleiton foi no terceiro andar desviar de cabeça sozinho, e a bola passou tirando tinta do poste direito da meta alvinegra.

E em cobrança de falta, finalmente o Campinense abriu o placar. Aos 34 minutos, Cleiton cobrou falta de muito longe. Apesar da força, a bola foi no meio do gol e Jeferson, traído pelo quique da bola, aceitou, para festa do time da Bela Vista.

Perto do intervalo, já aos 45 minutos, Rafinha cobrou escanteio da esquerda e tentou marcar o gol olímpico, mas o goleiro trezeano conseguiu espalmar para cima e afastar o perigo.

Segundo tempo

Marcelinho Paraíba fez duas mudanças para tentar melhorar o desempenho ofensivo praticamente nulo na primeira etapa do Treze. Mas logo aos 50 segundos, uma bronca.

A zaga alvinegra saiu mal, Marcos Nunes roubou a bola e Adriano Alves foi obrigado a fazer a falta na meia-lua da grande área. Como era chance clara de gol, ele recebeu cartão vermelho direto e deixou o Galo com um a menos em campo.

Mesmo com inferioridade numérica e no placar, a primeira oportunidade de gol de todo jogo para o Treze veio aos 9 minutos, quando Emerson fez boa avançada pela esquerda até a linha de fundo e tocou para o meio da área, onde João Leonardo finalizou livre, mas a bola subiu demais e passou por cima do travessão.

Três minutos mais tarde, a torcida alvinegra chegou a gritar gol quando Birungueta recebeu na entrada da área, ajeitou o corpo e bateu de direita no canto esquerdo de Mauro Iguatu, que se esticou todo e não conseguiu tocar na bola, que passou muito rente ao poste esquerdo do gol rubro-negro.

O Treze chegou a empatar aos 34 minutos. Após cobrança de falta de Birungueta na área, Rômulo cabeceou no canto direito de Mauro Iguatu e fez o gol, mas o assistente anotou impedimento do zagueiro do Galo.

Ficha Técnica
Campinense
Mauro Iguatu, Felipinho, Michel Benech, Cleiton e João Victor; Rafinha, Marcelinho (Daniel Justino), Pink (Joilson) e Cadu (Ivamar); Matheus Régis (Edinho) e Marcos Nunes (Allefe). Técnico – Ranielle Ribeiro
Treze
Jeferson, Júlio Ferrari (Ferrugem), Adriano Alves, Vital (Marcelo Barbosa) e Emerson; Rômulo Costa, João Ananias (Vitor), Romeu e Birungueta; Jairinho e João Leonardo (Wallisson Bahia). Técnico – Marcelinho Paraíba
Gols – Cleiton (C), aos 34min do 1ºT
Cartão amarelo – Marcelinho, Rafinha (C), Rômulo Costa (T)
Cartão vermelho – Adriano Alves (T)
Árbitro – Tiago Ramos de Oliveira
Assistentes – Luis Filipe Gonçalves Corrêa e Rafael Guedes de Lima

Cariri Esporte

Com Voz da Torcida/ Fotos: Ascom Campinense